spot_img

Vazamentos não visíveis podem provocar mais perdas que os aparentes

Mais notícias

©guto silveira

Informação é do diretor técnico do Daerp, Lineu Andrade de Almeida; autarquia fará busca de vazamentos em 2.550 quilômetros de redes

Os vazamentos de água não visíveis podem levar a perdas maiores de água que os vazamentos aparentes. A afirmação foi feita pelo diretor técnico do Daerp, Lineu Andrade de Almeida, nesta quinta-feira (23), durante reunião do Comitê Permanente de Gestão, Controle e Redução de Perdas de Água e de Eficiência Energética (CPG), realizada por videoconferência,.

“Os vazamentos não visíveis provocam perdas maiores porque podem ficar por longos períodos sem aflorar. Quando afloram, são reparados imediatamente e as perdas cessam. Justamente por permanecer vazando, mesmo que em pequeno volume, o tempo leva a grandes perdas”, afirmou Lineu.

Na próxima segunda-feira, dia 27, serão abertos os envelopes da concorrência para a contratação de empresa que fará a detecção e reparos de vazamentos não visíveis (ocultos) em 2.550 quilômetros de redes de água em toda a cidade. A contratação faz parte do Programa de Gestão, Controle e Redução de Perdas de Água e Eficiência Energética, lançado pelo Daerp em 2018.

“Neste momento, dada a grande quantidade de locais a serem pesquisados, é necessário fazer esta contratação”, disse o superintendente do Daerp, Afonso Reis Duarte.

Segundo o diretor técnico, após este primeiro grande trabalho, a busca e reparos de vazamentos não visíveis continuarão a ser feitos pelos servidores do Daerp.

“O controle, depois, será feito pela vazão mínima noturna dos reservatórios. Se percebermos aumento de vazão é porque há vazamento não visível. Será um controle fino deste tipo de perda”, explicou Lineu.

Redução de perdas

Durante a reunião do Comitê, o diretor técnico fez uma apresentação das atualizações do Programa de Gestão, Controle e Redução de Perdas de Água e Eficiência Energética. Nesta sexta-feira, dia 24, será assinado o contrato da primeira grande obra financiada com recursos do governo federal. Está sendo contratada a implantação de 65 quilômetros de adutoras e 250 válvulas de fechamento de setor. O investimento será de R$ 35,4 milhões.

“No programa de redução de perdas temos três obras de grande impacto, que são a implantação das adutoras, construção dos reservatórios e perfuração e recuperação de poços”, disse Lineu.

Os editais de licitação para a construção de reservatórios e perfuração/recuperação de poços devem ser publicados até o final de agosto. No projeto está prevista a construção de 17 reservatórios, com capacidade de reservação de 23,3 milhões de litros de água, a perfuração de um novo poço e recuperação de outros nove. Também está projetada a implantação dos Distritos de Medição e Controle (DMCs) do Centro de Controle Operacional (CCO)e a implantação do programa caça-fraudes.

A implantação de todos os projetos terá recursos de R$ 121,7 milhões, sendo R$ 115,4 milhões do governo federal, por meio da Caixa Econômica Federal, e contrapartida de R$ 6,3 milhões do Daerp.

Ribeirão Preto
nuvens quebradas
17.8 ° C
17.8 °
17.8 °
59 %
1kmh
65 %
ter
31 °
qua
32 °
qui
30 °
sex
32 °
sáb
32 °

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

spot_img

Últimas notícias